terça-feira, 28 de junho de 2011

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES DO CENTRO ESPÍRITA SEMENTE CRISTÃ

SEGUNDA-FEIRA - Grupos de estudo – Início: 19:30h
ESDE - Tomo III – coordenação: Dora Rodrigues

TERÇA-FEIRA – Palestra sobre temas diversos  e passes – Início: 19:30h

QUARTA-FEIRA – Estudo mediúnico – Início: 19:30h
(Grupo fechado)
ESDE - Tomo II – coordenação: Adjane

QUINTA-FEIRA – Reunião de Desobsessão – Início: 19:30h
(Grupo fechado)

SEXTA-FEIRA – Estudo do Evangelho – Início: 19:30h
(passes, diálogo fraterno, fluidoterapia)

SÁBADO – Grupo Enxugando Lágrimas – Início: 17:00h
Esclarecer e consolar as almas em dor pela perda de seus entes queridos.

CALENDÁRIO DE PALESTRA MES DE JULHO – TERÇA-FEIRA - 19:30h

05.07 - A fé no processo da cura - Adjane
12.07 - Escolha das provas - Rosete
19.07 - Brilhe vossa luz - Luiz Carlos
26.07 - Reforma íntima: o desafio da mudança - Cacilda

ESTUDO DO EVANGELHO – MES DE JULHO - SEXTA-FEIRA 19:30h

Estudo do livro Jesus no Lar e O Evangelho Segundo o Espiritismo

01.07 - O valor do serviço - José Hamilton
08.07 - O dom esquecido - Cacilda
15.07 - A resposta celeste - Vanessa
22.07 - A parábola relembrada - Rosete
29.07 - A regra de ajudar - Jessé

domingo, 26 de junho de 2011

Centro Espírita Semente Cristã aniversaria e tarefeiros comemoram

O Centro Espírita Semente Cristã realizou na noite de sábado (25), singela programação em homenagem aos nove anos de fundação da instituição. Emoção e muita alegria entre tarefeiros.
A presidenta da instituição, Cacilda Maria, iniciou a programação com um breve relato sobre a criação do Centro Espírita Semente Cristã e na sequência foi apresentada a palestra com o tema "Dimensões Espirituais do Centro Espírita".  Após a palestra, os tarefeiros cantaram os parabéns e partiram o bolo, confraternizando com os presentes.

O Centro Espírita Semente Cristã fica localizado na Rua Bolívia, quadra 25, casa 10, no Jardim Nova América e realiza programação diária, conforme descrito abaixo:
Segunda-feira - 19:30h - Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita.
Terça-feira - 19:30h - Palestra sob temas diversos e passes.
Quarta-feira - 19:30h - Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita (Leis Morais) e Estudo da Mediunidade.
Quinta-feira - 19:30h - Reunião de desobsessão (privativa dos médiuns da casa).
Sexta-feira - 19:30h - Estudo do Evangelho, passes e diálogo fraterno.
Sábado - 17:00h - Grupo Enxugando Lágrimas - consolo e esclarecimento à luz da Doutrina Espírita para pessoas que sofreram perdas de familiares.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Centro Espírita Semente Cristã comemora seu 9º aniversário

Neste sábado (25), a partir das 19:00h, o Centro Espírita Semente Cristã realiza programação festiva em comemoração ao seu 9º aniversário e convida os companheiros de ideal espírita e o público frequentador a se fazer presente.
A programação consta de uma palestra proferida por Dora Rodrigues com o tema: "Dimensões Espirituais do Centro Espírita" baseada na obra de Suely Caldas Schubert.
Fundado em 22 de junho de 2002, o Centro Espírita Semente Cristã funcionou em sua primeira sede à Rua Samuel Santos, 1262 por dois anos.

Em maio de 2004, o grupo mudou para sede própria no Jardim Nova América, onde realiza semanalmente atividades de caráter doutrinário.

domingo, 19 de junho de 2011

Tuas Insatisfações

“Um dos defeitos da Humanidade é ver o mal de outrem antes de ver o que está em nós...”
“... Incontestavelmente, é o orgulho que leva o homem a dissimular os próprios defeitos, tanto morais como físicos...”
Jovens, adultos, idosos, criaturas das varias posições sociais e dos mais diferentes contextos de vida, sofrem a aguilhoada da insatisfação. Muitos solteiros procuram incessantemente parceiros afetivos para que as “sarças da solidão” não possam alfinetar suas necessidades íntimas de se completar no amor, esquecendo-se, porém, de que a solidão é a falta de confiança em nós mesmos, quando nos rejeitamos e nos desprezamos, e não apenas a falta de alguém em nossas vidas.
Muitos casados reclamam sistematicamente que já não vêem mais o cônjuge com os mesmos olhos de antes e, por isso, sentem-se desiludidos e abalados diante da união infeliz, que outrora julgavam acertada. Contudo, não observaram que a decepção não era com o outro, porém com eles próprios.
Por não aceitarem seus fracassos, é que projetam suas incompetências e insatisfações como sendo “pelos outros” e nunca “por si mesmos”.
Várias criaturas enfrentam a pobreza, lutam incansavelmente para a aquisição de recursos amoedados, tentando dessa forma sair das agruras da miséria. Não percebem, todavia, que prosperidade é uma atitude de espírito, e que quanto mais declaram à sua mente que estão abertas para aceitar a abundância do Universo, mais a consciência se torna próspera; que a verdadeira prosperidade não se expressa em quantia de bens materiais que possuem, mas no receber e no dividir todo esse imenso tesouro de possibilidades herdado pela nossa Criação Divina.
Muitos ricos labutam constantemente para acumular mais e mais, e afirmam que isso é necessário para assegurar a manutenção dos bens já amontoados, por previdência e cautela. Não se dão conta de que sua insatisfação é produto da ganância desmedida, por alimentar crenças de escassez e míngua e por acreditar que a riqueza é que os faz homens respeitados e consideráveis, pois ainda não tomaram consciência do que é “ser” e do que é ter.
Outros tantos buscam o poder, como forma de encobrir o desgosto e de se auto-afirmar perante o mundo, escravizando em plena atualidade criaturas simplórias e incautas, para satisfazer seu “ego neurótico”. O desânimo tomou tamanha dimensão em torno deles que acreditam que, mandando arbitrariamente e desrespeitando leis e limites dos outros, podem eliminar o desalento que sempre os ameaça.
Jovens e adultos buscam dissimular a insatisfação interior, e para isso adquirem títulos acadêmicos, supondo que a outorga dessa distinção possa trazer-lhes permissão, diante da sociedade, para dominar e sobressair, com prestígio e capacidade que pensam possuir. O que ocorre, no entanto, é que não descobriram ainda o verdadeiro prestígio e capacidade, somente possíveis a partir do momento em que investirem em seus valores mais íntimos, em busca do autodomínio.
Insatisfação não se cura projetando-a sobre situações, pessoas, títulos, poder, posições sociais, mas reconhecendo a fonte que a produz.
Jesus de Nazaré, o Sublime Preceptor das Almas, convoca-nos a distinguir as “verdadeiras traves” que não nos deixam avistar as “causas reais” de nossas insatisfações, e nos receita de forma implícita o remédio ideal: através do autodescobrimento, fazer emergir de nossas profundezas as matrizes de nossos comportamentos inadequados, que provocam essa incômoda atmosfera de “descontentamento” a envolver-nos de tempos em tempos.


Livro - Renovando Atitudes
Espírito Hammed/Francisco do Espírito Santo Neto (médium).

sábado, 11 de junho de 2011

A felicidade é o perfume de Deus

A maioria das pessoas que se proclamam religiosas costumam afirmar categoricamente que a felicidade encontra-se apenas em Deus. Esquecem-se, porém, de que o Todo-Poderoso habita em tudo, inclusive nelas mesmas.
Então, por que não começar a procurá-la em sua própria intimidade?
Não importa se as pessoas acreditem ou não em Deus. O fato de não O amarem ou de terem conceitos diferentes a respeito dEle, em nada altera a Sagrada Realidade em nós.
O Pai Supremo responde a cada um de acordo com sua necessidade. Encontra-se a felicidade em forma de Toque Divino em toda parte. Na leitura de uma poesia, num buquê de miosótis, na visita amorosa a um lar de idosos, no aroma exótico dos jasmins, na colheita de conchinhas na praia, nos gestos de ternura. São muitos os momentos em que se pode ser venturoso.
Felicidade é sentimento íntimo. Os contextos exteriores nos quais você vive apenas o ajudam a entrar em contato com esse sentimento, já existente em sua intimidade; quer dizer, eles interpretam sua essencialidade divina.
Confie em sua sabedoria interior; só você pode decidir o que é certo para si mesmo.
O homem criou a linguagem para poder comunicar-se com os outros adequadamente. Descobriu que algumas expressões lhe permitiam pensar e agir com maior precisão e organizar melhor suas emoções. Planejou palavras que o ajudassem intelectualmente a cumprir certas funções e a administrar seu meio ambiente.
De início estereotipou na palavra felicidade o conjunto de satisfações dos sentidos, por acreditar apenas na existência do mundo das impressões exteriores em que se movimentava. Começou a agir como se todas as pessoas tivessem essa mesma visão estática e avaliassem a felicidade por esse mesmo estreito prisma.
É verdade que a maioria dos seres pensa de modo semelhante acerca da palavra felicidade. Usam-na constantemente para denominar um estado de completo bem-estar, contentamento e satisfação. No entanto, apesar da designação comum, ela se apresenta sob os mais variados aspectos, maneiras, situações, fatos e pessoas.
Muitos acreditam que, satisfazendo suas carências afetivas, profissionais ou sexuais, se tornarão plenamente felizes. Alegria não é o resultado de tudo aquilo que possuímos ou desejamos.
Felicidade ou infelicidade não resultam das circunstâncias, mas dependem de sua força de vontade e determinação. Se você aceitar isso como verdade, assumindo a responsabilidade pela sua própria felicidade, se libertará da exigência dos requisitos da sociedade superficial e da falsa importância que o mundo externo lhe impõe. A partir daí, poderá encontrá-la com mais clareza e discernimento.
Quanto mais crer em sua “voz do coração”, tanto mais nitidamente ela falará com você.
Olhando para dentro de si mesmo e analisando sua essência divina, que nunca falha nem se altera, você encontrará realmente a verdadeira alegria de viver.
As criaturas de consciência desperta compartilham e repartem seu contentamento. Aprenderam a amar os outros, porque amam a si mesmas. Desfrutam o tempo de forma singular: seus gestos de benevolência se estendem tanto a seus semelhantes como a si próprias.
As violetas, desde os tempos mais antigos, foram celebrizadas nas poesias, fábulas e narrativas. Shakespeare sempre as citava com admiração. São muito estimadas por seu aroma delicado.
Fazendo alusão às violetas e à sua fragrância, poderíamos dizer, em sinonímia quase que perfeita, que a felicidade é o perfume de Deus.




Livro - Conviver e Melhorar - Espírito Lourdes Catherine pelo médium Francisco do Espírito Santo Neto